Jose Carlos Ghedin (48) 3081-9861 | Marcelo Beirão (48) 9 9167-5052

Calcaneodinia – Dor no calcanhar

                   A dor embaixo do calcanhar é uma queixa muito frequente tendo como consequência muita dificuldade para caminhar o que representa afirmar que as pessoas tem dor constante na marcha ou somente pelo fato de ficar de pé. As causas para estas dores – chamadas de calcaneodinias – são várias e podem ser secundárias a um evento traumático como os pós-fraturas do calcâneo até o processo natural do envelhecimento fisiológico, pois gradativamente vamos perdendo por atrofia natural a camada de gordura protetora (coxim gorduroso) que existe abaixo do calcanhar, associada ao impacto repetitivo.

                 Uma das condições mais comuns na origem da calcaneodinia são as chamadas fascites plantares. Na região plantar temos uma musculatura  protetora da planta do pé chamada de fáscia plantar que se estende desde  região anterior do pé junto dos dedos até o calcanhar e em função da presença de um encurtamento desta musculatura poderá surgir um quadro inflamatório denominado então de fascite, patologia que causa muita dor e desconforto especialmente nos primeiros passos ao levantar da cama pela manhã ou durante as madrugadas com a sensação de que há uma “fincada ou espetada” na região do calcanhar. Com o passar do tempo havendo cronificação deste quadro inflamatório há uma tendência, em função da tensão exagerada exercida pela musculatura encurtada, uma ossificação no calcâneo que é popularmente chamada de “esporão do calcanhar”.

No dia a dia o uso pelas mulheres de sandálias tipo “rasteirinha” ou homens com sapatos com solado de couro onde a absorção do impacto também é bem menor, a prática de caminhadas sem um tênis adequado que absorva o impacto gerado pelo peso corporal sobre o calcanhar e principalmente as caminhadas ou corridas realizadas na beira do mar descalço podem desencadear as calcaneodinias.

              Estas condições são tratadas basicamente com uso de calçados adequados com boa proteção anti-impacto, medicamentos anti-inflamatórios, fisioterapia, uso de órteses (palmilhas siliconadas ou splint (tala) noturno para alongamentos da musculatura plantar) e nos casos mais resistentes a infiltração local com corticoesteróides, a terapia por onda de choques (TOC- ver matéria no site /blog) e até mesmo cirurgia, porém sendo indicada somente após falha de todas as outras alternativas de tratamento.  De qualquer forma advertimos que as calcaneodinias exigem muita paciência por parte dos pacientes, pois sua resposta ao tratamento ocorre de forma lenta e gradual.

Dr. Marcelo Beirão

fascite

palmilha
calcanheira silicone

 

 

 

splint
splint (tala) noturna para hiperextensão da fáscia plantar

 

© 2016 Todos os Direitos Reservados. Cirurgia do joelho e trauma do esporte.